05/08/2021 às 23h19min - Atualizada em 05/08/2021 às 23h19min

‘CCA Gracinha’ e ‘Clarice’ vão manter assistência às crianças carentes

Uma nova entidade vai substituir a ‘Associação Pela Família’ - ASPF - atual mantenedora da Escola Nossa Senhora das Graças, por convênio selado com a Secretaria Municipal de Assistência Social, responsável pelo atendimento de famílias com alta e altíssima vulnerabilidade. A decisão foi anunciada pelo Subprefeito do Butantã Paulo Vitor Sapienza, após encontro com representantes de organizações não governamentais e apelo do Grupo 1 de Jornais da - Jornal do Butantã/Gazeta de Pinheiros. Após entendimentos, a Prefeitura decidiu selecionar nova entidade para atender as 300 crianças, adolescentes e famílias carentes do CCA ‘Gracinha’ no Jardim Monte Kemel e ‘Clarice’ no Jardim Jaqueline na região do Butantã, para que esses núcleos familiares que dependem da “Associação pela Família” não fiquem desamparados. A organização havia anunciado a suspensão definitiva da assistência em agosto, mas depois transferiu o encerramento das atividades sócio-assistenciais das duas unidades na zona oeste da capita,, ‘Clarice’ no Jardim Jaqueline e o ‘CCA Gracinha’ no Jardim Monte Kemel, para outubro. Sabendo do problema com os dois centros de convivência, cujo fechamento foi decidido em função do elevado custo previsto para as obras de acessibilidade nos prédios dos dois serviços, o Grupo 1 de Jornais procurou o Subprefeito do Butantã, Paulo Vitor Sapienza, e teve a confirmação da intenção da Prefeitura nomear uma nova entidade mantenedora para as duas unidades sócioassitenciais. Como os imóveis são antigos e precisam de reformas que garantam aos usuários portadores de alguma deficiência, que os impeça de ingressar nas unidades por escadas, portas ou qualquer outra forma restritiva, o subprefeito se comprometeu a ajudar nas obras de­ ­adaptação. A decisão da direção do Colégio Nossa Senhora das Graças, se deve ao fato de ser inviável para a ASPF a manutenção dos custos das obras e atividades, pagos com verba própria, visto que, desde 2010, legalmente eles não são mais computados como contrapartida da isenção de impostos. De acordo com pronunciamento oficial, “a direção da entidade, continua em busca do melhor encaminhamento para funcionários, educandos e suas famílias”. A deliberação de encerrar a assistência às famílias carentes foi tomada em assembléia geral de associados à Organização da Sociedade Civil e atingiria centenas de crianças que dependem desses serviços. “ A nova entidade que vai substituir a ASPF no convênio com a Secretaria Municipal de Assistência, deverá garantir a continuidade dos serviços e as vagas de assistência social, na região do Butantã. “Vamos também auxiliar as obras pendentes”, concluiu Sapienza. Faltam 2.000 vagas O Butantã precisa ainda, em caráter emergencial, de mais 2.000 vagas de serviços sócio-assistenciais nos territórios mais necessitados da região, para preencher aquelas retiradas nos últimos anos. As comunidades das famílias atendidas por esses serviços mantém organização nas redes sociais, para companhamento do desdobramento da questão. Pessoas interessadas podem acessar o abaixo-assinado neste link: https//peticaopública.com.br/viewsignatures.aspx?pi= BR111162 Você também pode ter maiores informações e acompanhar a mobilização da população por meio das redes [email protected]@fica clarice no Instagram e no Facebook. www.gazetadepinheiros.com.br


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://gazetadepinheiros.com.br/.