03/05/2019 às 14h18min - Atualizada em 05/05/2021 às 09h51min

Mortes de ciclistas aumentam em São Paulo

Nos primeiros três meses de 2019, a cidade de São Paulo já registra 16 mortes de ciclistas. No mesmo período do ano passado, cinco pessoas perderam a vida deste modo, o que representa um aumento de mais de 220%. Os dados do Infosiga divulgados nesta semana apontam para o acréscimo de mortes de ciclistas e vítimas em carros. Porém, demonstra um decréscimo nos números de pedestres e motociclistas. O decreto que institui o Plano de Segurança Viária 2019-2028, chamado de Vida Segura, foi apresentado este mês pela Prefeitura. O projeto tem como objetivo transformar São Paulo em uma das cidades com tráfego mais seguro do mundo e vai nortear a execução de políticas públicas para a redução de ocorrências graves e mortes no trânsito. Baseado no Visão Zero e Sistemas Seguros, que parte da premissa de que nenhuma morte é aceitável no trânsito, o Vida Segura é resultado de um ano de trabalho, com o envolvimento de 200 pessoas, 15 órgãos públicos e mais de 50 colaboradores para a elaboração do texto final, com apoio do Banco Mundial, da Iniciativa Bloomberg para a Segurança Global no Trânsito e do WRI Brasil. Criado na Suécia em 1997, o conceito Visão Zero já é usado como referência para programas de segurança viária de longo prazo em cidades como Nova York, Cidade do México e Bogotá. O novo plano prevê seis eixos de atuação: Gestão da Segurança Viária; Mobilidade Urbana, Desenho de Ruas e Engenharia; Regulamentação e Fiscalização; Gestão das Velocidades; Atendimento e Cuidado Pós Acidente e Educação, Comunicação e Capacitação. Audiências Públicas A redação do plano contou com um amplo processo de participação popular, que teve início em 30 de outubro e seguiu até 18 de dezembro passado. Foram realizadas audiências públicas nas 32 subprefeituras de São Paulo, para que o Vida Segura fosse apresentado aos moradores de cada região e para que a população local pudesse debatê-lo, além da consulta pública online, que ficou aberta durante 53 dias. Em Audiência na Subprefeitura de Pinheiros no ano passado, segundo Sasha Hart, voluntário da Ciclocidade e da Câmera Temática da Bicicleta da Prefeitura, a segurança de ciclistas na região foi debatida. Para o voluntário, a região precisa de mais conexões, manutenção e novas estruturas em vias onde, por falta de opção segura na rua, o ciclista tem usado calçadas. “Também seria importante ter campanhas de conscientização sobre os benefícios de andar de bicicleta, bem como da obrigação prevista no nosso código de trânsito de todos zelarem pela segurança dos outros, sobretudo dos mais vulneráveis”, argumenta. Há inúmeras sugestões sobre o tema. “A segurança dos ciclistas é claramente muito maior quando há ciclovias ou ciclofaixas. Precisamos de mais, sobretudo em lugares críticos como em pontes. A cidade tem mais de 17.000 km, mas menos de 500 tem ciclovia ou ciclofaixa. Importante notar que os dados mostram que onde ciclovias e ciclofaixas foram instaladas, diminuiu muito o número total de atropelamentos de ciclistas e pedestres”, comenta Hart. Outras sugestões para amenizar acidentes e atropelamentos foram colocadas. Planos colocados em outras partes da cidade, ou municípios, foram comentados. Atitudes como rotatórias, lombadas e faixas de pedestres são fáceis de serem adotadas e já geram resultados. Movimento Paulista de Segurança no Trânsito Programa do governo do Estado de São Paulo, tem como principal objetivo reduzir pela metade os óbitos no trânsito no Estado até 2020. Inspirado na “Década de Ação pela Segurança no Trânsito”, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o período de 2011 a 2020, o comitê gestor do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito é coordenado pela Secretaria de Governo e composto por mais nove secretarias de Estado: Casa Civil, Segurança Pública, Logística e Transportes, Saúde, Direitos da Pessoa com Deficiência, Educação, Transportes Metropolitanos, Planejamento e Gestão, Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação. As secretarias são responsáveis por construir um conjunto de políticas públicas para redução de vítimas de acidentes de trânsito no Estado. O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito envolve também a sociedade civil e conta com o apoio de empresas privadas. Mais informações em www.segurancanotransito.sp.gov.br e pelo e-mail [email protected] O programa também está presente no Facebook, Twitter e Instagram (@MPSTransito).


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://gazetadepinheiros.com.br/.