17/02/2023 às 01h12min - Atualizada em 17/02/2023 às 01h12min

​Obstrução de bueiros e galerias pelas construtoras gera debate no Legislativo

O uso indevido dos bueiros e galerias da cidade para “descarga” de materiais, lixo e até concreto pelas construtoras, principalmente em Pinheiros e Butantã, conforme declarou recentemente o prefeito Ricardo Nunes, é um dos principais problemas que causam alagamentos na cidade. Em virtude da impermeabilização do solo, e do lixo nas ruas, há poucos modos de escoamento das águas das chuvas. Desse modo, faz-se necessário um constante trabalho de limpeza e monitoramento da Prefeitura. Discute-se a multa para obstrução ou resíduos provenientes de obras é de apenas R$ 1.040,67. A Câmara se manifesta e estes valores precisam ser multiplicados por dez, para evitar abusos e problemas para a comunidade.

Fiscalização e limpeza são discutidas na Câmara
De acordo com a Câmara, em uma das sessões, um dos pontos tratados foi a zeladoria, atividade da Prefeitura responsável pela manutenção e limpeza de áreas públicas. Durante o debate, vereadores cobraram melhorias, e também destacaram o trabalho feito pelo governo municipal para manter a organização da cidade.
De acordo com o líder do governo na Casa, vereador Fabio Riva (PSDB), o prefeito Ricardo Nunes (MDB) conhece os problemas da capital e tem exigido empenho dos subprefeitos.  “O Ricardo é incansável em cobrar dos seus secretários e subprefeitos a zeladoria da cidade de São Paulo”.
Riva rebateu algumas críticas recebidas de vereadores e lembrou que todos os parlamentares devem fiscalizar o município, bem como sugerir medidas para solucionar os problemas. “O papel do Parlamento, além de fiscalizar, é fazer as propostas para que possamos melhorar cada vez mais o serviço público”.
“Mercado imobiliário movimenta milhões...”
Sobre o assunto o vereador Toninho Vespoli assim se manifestou: “O mercado imobiliário movimenta milhões anualmente às custas da cidade, de seus habitantes e práticas irresponsáveis de despejo de concreto junto a bueiros e que não são meros entupimentos, são verdadeiras paredes de concreto nas galerias de águas da chuva da cidade! São entupimentos que resultam em enchentes e que para corrigir são necessários estudos e obras de infraestrutura onde mil reais de multa saem barato para este tipo problema para a cidade! Esta ação irresponsável deve ser fiscalizada com maior rigor e os custos devem ser equivalentes aos danos causados, portanto devem ser arcados pelos responsáveis pelo problema!”.

Fundo de combate à fome
Outro parlamentar que subiu à tribuna do Plenário para discutir o trabalho da atual gestão do município foi o vereador Dr. Sidney Cruz (SOLIDARIEDADE). Ele reconhece que há problemas, porém reforçou que existem ações previstas no Orçamento deste ano para enfrentar os desafios. “Foi criado o Fundo de Combate à Fome pela primeira vez na cidade de São Paulo, com mais de R$ 190 milhões. Tivemos também um aporte de R$ 50 milhões para o PopRua (População em Situação de Rua) e teremos o maior programa habitacional já visto na história da cidade”.

Zeladoria e subprefeituras
Líder da bancada do PT na Câmara, o vereador Senival Moura (PT) também se posicionou sobre questões que envolvem a administração da capital. Ele entende que o trabalho de zeladoria não tem agradado. “Falta fazer um punhado de coisas sob o ponto de vista da zeladoria, como a capinagem, a limpeza e o que vocês imaginarem”.
Já o vereador Reis (PT) cobrou mais estrutura nas Subprefeituras para atender às demandas da cidade. Segundo o parlamentar, a Prefeitura tem que abrir novos concursos públicos para contratar mais profissionais e aumentar a fiscalização. “Falta gente para fiscalizar. Não tem engenheiros, não tem geólogos, não tem arquitetos. Ora, se não tem funcionários, como vai ver se o bueiro está entupido ou não? Como vai ver se a rua está esburacada ou não?”.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://gazetadepinheiros.com.br/.